Diferenças entre os Sentimentos

GOSTAR – gostar de uma pessoa significa ter por ela simpatia, afeição, carinho, amizade. É, digamos, o prelúdio do amor. Entre um homem e uma mulher, o simples ato de gostar só é normal no início do relacionamento. O gostar, portanto, deve ser sempre o começo, nunca o "meio" e o fim.
APAIXONAR-SE – apaixonar-se não é a mesma coisa que amar. A paixão relaciona-se ao tipo de "amor" carnal ou físico, o qual associa-se ao sexo, expressando-se no corpo, na carne, nunca na alma. A paixão não deixa enxergar o que de mais nítido o outro tem de ruim. Na paixão não há limites. Quem já não leu nos jornais, casos de pessoas loucamente apaixonadas, que por não serem correspondidas, atiraram-se de prédios, pularam de pontes, tomaram venenos, enlouqueceram-se? E pior de tudo é que fizeram isso em nome do que eles alucinadamente o chamavam de "amor". A paixão dura apenas um verão. Quando a rotina do casamento se escancara num dia chuvoso de inverno, o apaixonado percebe que tudo não passou de uma grande ilusão. Mas, a paixão não é apenas algo negativo. Quando alicerçada no verdadeiro amor, ela torna-se indispensável num relacionamento. Ama-se para depois se apaixonar. E Não o contrário.
AMAR – amar uma pessoa implica em aceitá-la integral e racionalmente. Amar é estar dentro da pele do outro. O amor, ao contrário da paixão, não é fruto de uma emoção efêmera e carnal. No amor há um equilíbrio que torna o relacionamento inabalável. Quando é o amor que impera entre um casal, as marcas que o tempo deixa no decorrer dos anos, na pessoa amada, nunca serão motivos para se pensar no divórcio. O amor “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta". Quando se ama não se magoa o outro intencionalmente. O amor derruba o orgulho.